Por Bruno Leonel

Nem o calor, nem a distância e nem mesmo a chuva (que brindou o público presente por volta das 18h) puderam impedir a apresentação do espetáculo teatral Zé Maria & Maria, feito pela Cia Curumim Açu, no último domingo no distrito de São Luiz (Região Rural). A apresentação marcou, não apenas o início da temporada 2017 do espetáculo, mas também, o começo de um giro que o grupo fará por regiões rurais da cidade. A adaptação da obra “José de Maria”, levada para vários espaços durante o ano de 2016, visa resgatar a magia dos autos e do teatro de rua através da estrutura itinerante, adaptada como ‘espetáculo de rua’.

O espetáculo foi inspirado no auto de Luis Menezes Peduto e introduziu elementos do circo na história, criando um novo contexto para os personagens - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
O espetáculo foi inspirado no auto de Luis Menezes Peduto e introduziu elementos do circo na história, criando um novo contexto para os personagens – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

A apresentação teve início às 17h, em um espaço da praça Altivo Alves do Carmo, na rua Dom Pedro II. Crianças, pessoas já com mais idade e eventuais curiosos, aos poucos, foram saindo de suas casas e parando para observar a montagem que retrata, a história de Zé Maria, bonequeiro de um circo itinerante, e que precisa ir ao encontro de Marizé, que está prestes a dar a luz. Misturando referências diversas como figuras de circo, símbolos que dialogam com a cultura regional e também trechos musicados, a trama toda ocorre sobre um tapete de retalhos que formam um mapa do Brasil.

Quase como uma metáfora da fusão e mistura que original este ‘recorte’. As cores e movimentos pareceram mexer com a imaginação do público presente. Mesmo durante a montagem dos adereços, vez ou outra, alguém passava para perguntar do que se tratava ‘aquilo tudo’. Vale lembrar, que fazia bastante calor no dia, média de 35º, e mesmo com altas temperaturas um número considerável de pessoas compareceu ao local.

O espetáculo é construído cenicamente a partir de referências da memória do circo mambembe, do europeu, e do circo de pulgas nordestino - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
O espetáculo é construído cenicamente a partir de referências da memória do circo mambembe, do europeu, e do circo de pulgas nordestino – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

As ideias se mesclam também com as figuras do folguedo popular “Cavalo Marinho” (a velha do bambu, o limpador, o bêbado, Caboclo de Lança, entre outras) e com as da “Comedia dell’Arte” (Il Capitano, Colombina, Arlecchino, Pulcinella) juntando-se às esculturas de barro e aos bonecos articulados de madeira, do artesanato nordestino de Mestres como Salú, que trouxeram referências para a base do trabalho corporal dos atores. O argumento propõem também o questionamento de valores morais associados à instituição da família e aos padrões e normas associados às relações de gênero. O espetáculo tem patrocínio da Prefeitura de Londrina, por meio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic).

A peça comunga com a mestiçagem das culturas indígena, branca e negra, que formam a cultura e identidade do Brasil - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
A peça comunga com a mestiçagem das culturas indígena, branca e negra, que formam a cultura e identidade do Brasil – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Apontando o circo como a representação de uma família não tradicional, o espetáculo comunga com a mestiçagem das culturas indígena, branca e negra, que formam a identidade do Brasil. E tem como objetivo fazer eclodir o vulcão dessa mestiçagem. “Serão mais 9 apresentações até o final do ano, passaremos por mais distritos e ainda por outros bairros centrais… Foi a primeira vez apresentando em um distrito. Sempre imaginamos como será, a coisa da praça, se o público irá comparecer, escolhemos distritos rurais também para buscar esse tipo de diálogo e, hoje, foi muito legal, o pessoal ficou um pouco espalhado mas, qualquer situação, provoca a gente de uma forma diferente também”, contou o ator Herbert Proença integrante da Companhia Curimim Açu. A peça aconteceria inicialmente na semana passada, próximo ao Zerão, mas, o mau tempo fez com que a data precisasse ser alterada.

Público observa apresentação da peça 'Zé Maria e Marizé' - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Público observa apresentação da peça ‘Zé Maria e Marizé’ – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Ficha Técnica
Elenco: Bruno Bazé, Herbert Proença, Olifa Ollon, Rafael Avansinii, Thais Regina
Direção: Edna Aguiar Dramaturgia
Dramaturgia: Rafael Avansini