Por Bruno Leonel

No mesmo dia em que acontecia a primeira fase do Vestibular 2017 da UEL – No Qual cerca de 21.500 alunos participaram – A Vila Cultural Kinoarte em Londrina recebia a edição de aniversário do Baile do LP, evento mensal que, há aproximadamente um ano, reúne entusiastas da cultura do vinil e da música ligada ao ‘groove’ relembrando ritmos latinos, brasileiros (E alguns americanos) tocados por Djs apenas utilizando ‘bolachões’ e toca-discos, já repletos de marcas do tempo, evitando assim mídias e sons de fontes digitais.

Quatro Djs comandaram o som que teve início por volta das 14h no domingo - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Quatro Djs comandaram o som que teve início por volta das 14h no domingo – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

O som teve início por volta das 16h. Além do Dj residente Gustavo Veiga (Londrina) tocaram também os Djs convidados Pedro Funkeistein (Curitiba), Disco Veneno (Curitiba),  e Uhuru Selector (Curitiba). Uma feira de artes, bazar e vinis (Que, devido a demanda e também raridade, infelizmente não são vendidos a preços muito ‘acessíveis’). Pessoas de várias idades e circuitos – Havia desde artistas de rua, até atores, músicos, curiosos que passaram em frente ao espaço e até pessoas de outros países (!!!) marcaram presença na Vila Cultural que, após as 19h, com a diminuição do sol, se tornou uma verdadeira pista de dança (Com direito a globos e neon). A vila possui patrocínio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PROMIC).

O evento mensal começou a ser realizado ainda em 2015 no antigo 'Espaço Sementes' na região Leste de Londrina - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom.
O evento mensal começou a ser realizado ainda em 2015 no antigo ‘Espaço Sementes’ na região Leste de Londrina – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom.

O ‘baile’ seguiu até perto das 22h. “O evento começou ano passado no extinto ‘Espaço Sementes’ e ai, hoje chegamos à 13ª edição… O evento começou com o Gustavo Veiga e, neste ano, eu propus participar também do evento, não tem uma casa fixa, além do Sementes, tivemos eventos no Mercado Quebec e também no Cemitério de Automóveis afirmou João Gabriel Domenciano, um dos organizadores do ‘Baile’ e que também trabalha na Vila Cultural Kinoarte que sediou o evento.

Artistas de rua levaram um pouco de suas performances envolvendo malabares, argolas e outros objetos para a Kinoarte - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom.
Artistas de rua levaram um pouco de suas performances envolvendo malabares, argolas e outros objetos para a Kinoarte – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom.

“A ideia era fazer uma festa de discotecagem bem simples, em vinil, para os Djs só usarem discos, é uma ‘cereja do bolo’ para o evento… O Gustavo tem uma pesquisa extensa de som no vinil, isso remonta à ideia tradicional da figura original do dj, o repertório foge um pouco da música ‘dominante’ na mídia atual, até pelo fato de que, não há muitos artistas atuais, em peso, lançando vinis – É algo mais restrito – e por isso acaba focando mais no resgate de sons dos anos 70,80,90… O estilo é algo como ‘Som Transatlântico’, brasileiro, africano, caribenho e outros…”, pontuou João Gabriel.


Mais informações do Baile do LP acompanhe a página no facebook do evento