Por Bruno Leonel

A partir desta segunda-feira (18) a cidade de Londrina será o palco de destaque da música brasileira instrumental. Até o dia 24, acontece na cidade a 6ª edição da Semana do Choro da cidade. O evento contará com a participação de pelo menos três grupos da região, especializados na pesquisa e estudo do estilo, além de artistas e interessados de toda a cidade que participarão de apresentações gratuitas, oficinas e entrevistas em diversos pontos do município, inclusive em espaços públicos.

Futuca migué7
Regional ‘Futuca Migué’ é um dos grupos que se apresentará durante eventos da ‘Semana do Choro’ – Foto: Divulgação

O evento acontece de forma independente, sem nenhum tipo de patrocínio ou apoio externo. “Uma coisa interessante deste ano é que, praticamente, todos os lugares em que tocaremos são novos para a gente. Estamos abrindo espaço para o choro através dessas rodas de choro que irão acontecer em bares” comenta Osório Peres, coordenador e membro do Clube do Choro de Londrina que se apresentará durante alguns eventos da semana..

Clube do Choro, que se apresenta durante a semana, também será tema de documentário - Foto: Divulgação
Clube do Choro, que se apresenta durante a semana, também será tema de documentário – Foto: Divulgação

Além do ‘Clube’ os grupos ‘Futuca Migué’ e o ‘Regional Maria Boa’ também participarão ativamente da semana se apresentando em bares e também em espaços como escolas de música, colégios e até em estabelecimentos localizados na região da ‘Comunidade 12 Tribos’ próximo à Estrada do Limoeiro (Veja a programação). A partir de oficinas realizadas no colégio Marcelino Champagnat, no ano passado, foi formado um novo grupo de estudos para reforçar a prática do choro. “O regional foi formado por Renato Stecca, Wellington Filho, Odair Pereira, Joaquim André, João Gabriel, Silvia Borba e Igao de Nadai, mas sempre está aberto para novos músicos praticarem o choro. Eu que ministrava as oficinas de cavaco e bandolim, comecei a participar e auxiliar em interpretação, teoria e harmonia.” cita o músico e jornalista Lucas Fiuza, integrante do grupo. “O ‘Maria Boa’ se tornou a alternativa para quem quer continuar praticando o gênero já que além das oficinas semanais, faz a verdadeira roda de choro onde todos tocam com o intuito de se divertir e perpetuar o estilo na cidade. O regional se apresenta em bares da cidade, todo mês participa do forró do aluguel e já marcou presença no Quizomba.” acrescenta o músico.

Integrantes do Regional Maria Boa, formado após encontros em oficinas pela cidade - Foto: Divulgação
Integrantes do Regional Maria Boa, formado após encontros em oficinas pela cidade – Foto: Divulgação

Eventos em espaços públicos também marcam a programação: Uma oficina de prática de conjunto acontece no dia 23 (Dia Nacional do Choro) na sede recém reformada da Secretaria de Cultura (Em frente à Concha Acústica). “Em edições anteriores, quando a semana anterior era organizada pela Rosana Moraes, havia um caráter (Que eu considero mais difícil) de sempre trazer artistas de fora da cidade. Após a saída dela, começamos a fazer o que era mais fácil, rodas mesmo com artistas daqui em bares da cidade e chegamos ao formato de agora. Acho muito positivo ver outros grupos fortalecendo esse movimento do choro na cidade, grupos que começaram depois da gente estão firmes e fazendo rodas direto. Ficamos felizes em ver isso” acrescenta Osório..

Documentário

Entre os eventos mais notáveis, há também o Lançamento da campanha de financiamento coletivo (Crowdfunding) para o documentário “Londrina Sorri para o Choro” no restaurante Dona Menina no dia 20. A captação das imagens para a longa-metragem ocorreu no mês de julho de 2015. O documentário conta com depoimentos, imagens das apresentações e das rodas. Entre os entrevistados, está Roberto Souza, músico do Clube do Choro; Alberto Barroso, que foi membro do grupo por mais de 30 anos e outras figuras importantes do grupo. Em dois meses a meta é arrecadas R$ 15 mil para custos de finalização e edição do documentário..

O Evento

O núcleo central da Semana do Choro é comemorar o aniversário de Alfredo da Rocha Vianna Filho, o Pixinguinha, que nasceu em 23 de abril de 1897. Foi estabelecido o dia 23 como Dia Nacional do Choro que é comemorado com muita alegria e autêntica música brasileira em todas as capitais e grandes cidades do pais..


Programação

18/04 Entrevista com o regional “Fucuta Migué” no programa “Modos de Vida”, da Radio Uel, às 15h.
19/04 Apresentação/Concerto Didático do regional “Fucuta Migué” na Escola Dôminos, av. Pres. Castelo Branco, 1577, às 10h30,
20/04 “O Choro vai à Escola” no Colégio Ubedulha C. Oliveira, rua Júlio Farináceo, 110, às 10h.
20/04 Entrevista com o “Regional Maria Boa” no programa “Modos de Vida”, da Radio Uel, às 15h.
20/04 Apresentações/Concertos Didáticos com regional “Futuca Migué” na escola Dôminos, av. Pres. Castelo Branco, 1577. Duas seções: às 16h15 e 17h.
20/04 Lançamento da campanha de financiamento coletivo para o documentário “Londrina Sorri para o Choro” e roda no restaurante Dona Menina, rua Guararapes, 177, às 19h.
21/04 Roda de Choro no Restaurante Chão Comum (comunidade 12 Tribos), na estrada do Limoeiro, às 12h.
21/04 Roda de Choro no Bar Palito, avenida Aniceto Espiga, s/n (rotatória em frente ao Santarena), às 18h.
22/04 Choro na Pizzaria Ravenna, av. João Cândido esq. com av. J.K, às 19h.
22/04 Roda com Regional Maria Boa no Bar Araras, av. João Cândido esq. com Pará, às 20h.
23/04 Oficina de prática de conjunto de Choro na sede recém reformada da Secretaria de Cultura, em frente à Concha Acústica, às 9h.
23/04 Choro no Restaurante Comidaria, rua Jorge Velho, 404, às 12h.
23/04 Roda no Boteco do Alemão, rua Mato Grosso esq. com Paes Leme, às 19h.
24/04 Choro na Pizzaria Ravenna, av. João Cândido esq. com av. J.K. às 12h.