Por Bruno Leonel

Com aproximadamente 136.360 mil votos, Marcelo Belinati (PP) foi eleito prefeito de Londrina no último domingo (2), com 51,57% do total. O candidato do PSDB, Valter Orsi, somou 93.415 votos (35,33%), mas não conseguiu levar a disputa para o segundo turno (Os números foram divulgados pelo TSE). Marcelo Belinati é deputado federal em primeiro mandato e foi vereador em três Legislaturas em Londrina. É a primeira vez que um candidato vence eleições municipais no 1º turno na cidade.

Resultado das eleições repercute entre produtores culturais
Marcelo Belinati (PP) foi eleito com 136.360 votos – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Em londrina, após a confirmação do novo candidato, o Rubrosom entrou em contato com alguns produtores culturais da cidade, para saber como são as expectativas em relação ao novo prefeito. Embora no geral, a maioria dos entrevistados ache ainda cedo para traçar qualquer panorama, um fato é quase unânime: Em relação a cultura, será responsabilidade da classe artística (E da sociedade como um todo) acompanhar a gestão e garantir que questões pontuais – Algumas até mencionadas antes das eleições sejam levadas a risca. Confira:

"O cenário atual é complicado também devido ao clima da política nacional", afirma Danilo Lagoeiro - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
“O cenário atual é complicado também devido ao clima da política nacional”, afirma Danilo Lagoeiro – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Danilo Lagoeiro (Professor e membro do Movimento dos Artistas de Rua de Londrina – M.A.R.L) –  “Acho que, cedo ou não, sempre é importante estar pensando nessa continuidade do Programa Municipal de Incentivo a Cultura (PROMIC), como uma das questões pautadas na última conferência municipal da cultura. Eu vejo que, considerando as opções possíveis, qualquer liderança que assumisse a prefeitura, iria enfrentar uma situação complicada, considerando também o centário da política nacional. Já havia um cenário complicao para pautas de esquerda, e para partidos dessa linha antes. A questão do belinaitsmo é amplamente discutida e debateida por profissionais, como uma medida ligada ao populismo. Há seis anos atrás ele ganhou as eleições – e foi caçado – O episódio agora nem é tão novidade, ele é uma figura que sempre esteve muito em evidência. Pessoalmente, acho que a perspectiva política é agora pessimista. No meu ver foi uma esquerda fragmentada, com muita divisão, sem uma liderança única que acabou permitindo isso.  Agora é momento de fazer pressão popular e de haver organização da sociedade civil para exigir questões discutidas durantes as eleições. Teremos processos burocráticos liderando a máquina, e é necessária muita luta. Não tinha como ser diferente, não havia muitos candidatos, com condições de elegibilidade, que, na minha opinião iriam ver isso de de forma melhor. Penso que na Câmara Municipal poderia ter sido melhor. Talvez se outras estratégias tivessem sido adotadas… Havia bons candidatos, mas, ‘pulverizados’ (Em relação aos votos) sem uma chande de elegibilidade, mas que, poderiam ter gerado maior representatividade a outros grupos sociais”.

Resultado das eleições repercute entre produtores culturais
“Acho que o Prefeito fará um bom trabalho. Mas, agora também é o momento também da população, da sociedade cobrar e exigir da gestão medidas para isso”, afirma o produtor cultural Marcelo Banana Flow – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Marcelo ‘Banana Flow’ (Hip-Hop sobre rodas) – “Não foi surpresa, quem acompanha a política já imaginava que ele (Belinati) ganharia, especialmente devido ao resultado das eleições anteriores. A aqui acompanha a política como um todo e, independente da bandeira, eu acompanhei o trabalho dele como Deputado Federal (Como o de outros deputados também) e ele foi um dos que, na minha opinião, se destacou politicamente, conseguindo trazer recursos para Londrina e para o Paraná, baseado neste trabalho, acho que ele fará um trabalho legal na cidade. Pra cultura também! Ele é um candidato sensato e irá fazer um bom trabalho. Eu como produtor cultural, e ativista, espero que ele atenda demandas da cultura… Isso vai depender da equipe formada também (Secretaria, etc). Agora é o momento também da população, da sociedade cobrar e exigir da gestão medidas para isso, esse é o caminho que eu acredito! E se algo não seguido à risca, iremos pra cima, cobraremos”.

Miriam Andrei (Coordenação da ONG Flapt) – “Essas eleições estavam complicadas, sem muita opção. O que, eu penso que, seria mais favorável para a cultura e para os movimentos sociais seria o Paulo Silva (PSOL) – Mas a gente não tinha muita perspectiva de elegibilidade. O PSOL é um partido que não tem tanto eleitorado, o próprio perfil do candidato enfrenta ainda um preconceito grande, ligado ao preconceito do jovem, há ainda essa imagem padronizada da figura patriarcal, mais velha, como político. Com o Belinati, para a cultura, talvez tenhamos alguma perspectiva para diálogo. Outros candidatos, abertamente, defendem questões de extrema direita, estão ligados aos  grandes proprietários, que defendem a propriedade acima de tudo. Eles estão alinhadas com uma frente política que já vem cortando ministérios e aspectos sociais importantes (Ligados à discussões de gênero, direitos da mulher, questões étnico-raciais) seria muito complicado conseguir esse diálogo. O Belinati, a pesar do histórico, tem também o perfil de conhecer bem a história da cidade, por exemplo tendo um entendimento de muitas esferas dela. De certa forma ele é muito associado ao populismo, mas associado por quem? Muitas vezes tais críticas vem de setores que não conheçam esse lado dos movimentos sociais. Acho que o que é mais preocupante é o resultado da Câmara Municipal, porque, na verdade não temos ninguém ligado à uma linha centralizada, a grande maioria está alinhada à direita, a um perfil anti-movimentos culturais. É um cenário pouco favorável…”

Alexandre Simione (Gestor da Vila Cultural Triolé) – “Na verdade é cedo ainda, para termos uma ideia de como será. Falando de prefeitura, o ‘eleito’ não é uma pessoa de histórico de apoio à cultura, espero que tenhamos uma força para mostrar para ele toda a força da produção que temos na cidade – Espero que ele entenda que é um setor que movimenta a economia da cidade, e que é muito importante. É importante que nós artistas, produtores, possamos mostrar parar eles a produção feita aqui. A população escolheu ele democraticamente, temos que respeitar, mas há uma responsabilidade nossa pelo fato de londrina ser referência nacional nessa área cultural”.


Leia também – Belinati: Temos que buscar recursos para a cultura via iniciativa privada