Por Bruno Leonel

O início do formato como o conhecemos – Que data aproximadamente do século XIX – Algumas das transformações e adaptações que os quadrinhos tiveram ao longo dos anos, passando por formatos europeus, os mangás (Ásia), assim como, os autores mais emblemáticos do gênero no mundo e no Brasil! Estes foram alguns dos temas abordados durante o bate-papo realizado na última segunda (24) na biblioteca do Sesc em Londrina.

Quadrinhos - Oficina comenta sobre a história e a variedade dos HQs
Autores clássicos do Brasil como Maurício de Souza, e também estrangeiros como Neil Gaiman (Sandman) foram mencionados durante a conversa – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

O evento, ministrado durante a noite, por Maria Cristina Gomes (Mestranda em Ciências da Informação) aconteceu dentro da programação da Semana do Livro e da Biblioteca – Que até o dia 29 de outubro irá divulgar leitura e temas relacionados em diferentes espaços da cidade. O evento, que era aberto ao público, era formado em sua maioria por entusiastas da arte dos quadrinhos, estudantes do ensino médio e alguns curiosos. “Meu interesse por este formato dos quadrinhos é antigo, surgiu por entretenimento mesmo, meu contato foi com o Sandman, já na adolescência, e que acabou me surpreendendo… Através da indicação cheguei a mangás, como o Berserk. Essa pesquisa, feita para o bate-papo de hoje, começou no mestrado, durante o estágio docência, no qual poderíamos trazer qualquer tipo de temática, o pessoal não conhecia esse tipo de literatura… Não é algo divulgado na academia, alguns professores acharam bem interessante”, contou Maria à reportagem.

Pessoas presentes peguntaram e comentaram curiosidades sobre o universo dos 'quadrinhos' durante a palestra - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom.
Pessoas presentes peguntaram e comentaram curiosidades sobre o universo dos ‘quadrinhos’ durante a palestra – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom.

Segundo a acadêmica, mesmo sendo uma forma de publicação já difundida à séculos, os HQs (E outros formatos relacionados como graphic novels) são um tipo de produção que sofre resistência de certos meios por preconceito. ” A variedade temática de HQs é muito grande também, como cito na palestra, até o governo Norte-Americano já se aproveitou do formato para divulgar ideologias e até buscar apoio popular, trazendo os ‘heróis deles’ combatendo ameaças estrangeiras, é muito vasto…”, comentou Maria Cristina. Como autoras da atualidade, a mestranda cita autores como Kentaro Miura,


SERVIÇO
Semana Nacional do Livro e da Biblioteca – Confira Programação