Por Bruno Leonel

A atriz londrinense Camila Fontes, do grupo TOU Teatro, realiza nesta quarta (14) a última apresentação do ano do espetáculo solo “Sobre letras e gritos para salvar mundo – uma homenagem à Jardelina da Silva”, na Divisão de Artes Cênicas da Casa de Cultura da Universidade Estadual de Londrina.

O espetáculo trata-se de um encontro com as vozes e imagens de Jardelina da Silva, sergipana, brasileira, conselheira, poeta, "gritona". Figura muito conhecida nas ruas de Bela Vista do Paraíso, cidade do interior do Paraná - Foto: Marina Wang
O espetáculo trata-se de um encontro com as vozes e imagens de Jardelina da Silva, sergipana, brasileira, conselheira, muito conhecida nas ruas de Bela Vista do Paraíso, cidade do interior do Paraná – Foto: Marina Wang

O espetáculo se trata de um encontro com as vozes e imagens de Jardelina da Silva, conselheira, poeta, “gritona”. Figura muito conhecida nas ruas de Bela Vista do Paraíso, no Paraná, Jardelina tinha o dom das vozes proféticas, o dom de vesti-las. Passava da escuta das vozes à costura, da costura ao discurso gritado pelas ruas e, por fim, concluía seu ato com a fotografia. “Sobre letras e gritos para salvar mundo – uma homenagem à Jardelina da Silva” é uma homenagem que busca vestir alguns dos retratos, objetos e palavras de Jarda, como era carinhosamente conhecida.

A pesquisa e criação da peça é de Camila Fontes que contou ainda com a assessoria artística das atrizes e diretoras Raquel Scotti Hirson (LUME teatro – Unicamp/ Campinas-SP) e Thaís D'Abronzo (TOU e Curso de Artes Cênicas da Universidade Estadual de Londrina), a qual também foi responsável pelo desenho de luz - Foto: Marina Wang
A pesquisa e criação da peça é de Camila Fontes que contou ainda com a assessoria artística das atrizes e diretoras Raquel Scotti Hirson (LUME teatro – Unicamp/ Campinas-SP) e Thaís D’Abronzo (TOU e Curso de Artes Cênicas da Universidade Estadual de Londrina), a qual também foi responsável pelo desenho de luz – Foto: Marina Wang

A pesquisa e criação da peça é de Camila Fontes que contou ainda com a assessoria artística das atrizes e diretoras Raquel Scotti Hirson (LUME teatro – Unicamp/ Campinas-SP) e Thaís D’Abronzo (TOU e Curso de Artes Cênicas da Universidade Estadual de Londrina), a qual também foi responsável pelo desenho de luz.

O grupo TOU atua na cidade de Londrina desde o ano de 1999. No ano passado, o grupo fechou sua sede, mas continua realizando produções através parcerias estabelecidas ao longo de 17 anos de trabalho. Atualmente o TOU tem apoio e realiza produções com a Divisão de Artes Cênicas (DAC) da Universidade Estadual de Londrina, e com o Lume Teatro, da Unicamp, em Campinas, que cedeu seu espaço para o desenvolvimento de uma das etapas do processo de criação do espetáculo no mês de julho. “Eu fui lá nas artes, não sabe? Eu sou vidente. Eu fui nas artes invisível. Tá tudo escrito lá. Essas letras tudo. Eu entro no retrato e assino o mundo. Tá saindo tudo as letra tudo os meu grito que eu falo. Agora não sei se é rei Messias, num sei se é governo, não sei quem é. Mas tudo que eu falo é o planeta.”- Jardelina da Silva.


Ficha técnica:

Pesquisa, criação e atuação: Camila Fontes
Assessoria Artística: Thais D’Abronzo (Tou Teatro) e Raquel Scotti Hirson (Lume Teatro)
Ilustração: Thaís Arcângelo
Desenho de Luz: Camila Fontes e Thais D’Abronzo
Equipe técnica: Rogério Francisco Costa, Thais D’Abronzo, Matheus Gasparini
Foto: Marina Wang
Produção: TOU Teatro
Realização: DAC – Divisão de Artes Cênicas/UEL e TOU Teatro
Apoio: Prosa – Cursos e Consultoria, Criattiva Turismo e Palito


Serviço:
Quando: 14 de Dezembro, às 20h
Onde: Divisão de Artes Cênicas – Casa de Cultura UEL
Entrada: Gratuita
Atenção: Retirada de convite uma hora antes se não tiver agendado a data antecipadamente com a produção.
Classificação indicativa: maiores de 16 anos.