Por Bruno Leonel

A partir desta semana, a Biblioteca Pública Municipal Pedro Viriato Parigot de Souza sedia, a exposição “Bolívia em verso e prosa”, com imagens que retratam um olhar mais humanizado de problemas sociais na América Latina. As imagens, clicadas por Rafael Leme buscam transmitir ao observador diferentes aspectos e impressões rápidas de pessoas do cotidiano do país por meio do olhar fotográfico. Elas são parte de uma serie, ainda em produção, na qual o autor pretende clicar a America do Sul por inteiro.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O público pode visitar a exposição de segunda a sexta-feira, das 10 às 18 horas, na Sala José Antônio Teodoro, no primeiro andar da Biblioteca, localizada na Avenida Rio de Janeiro, 413. A entrada é gratuita. “Bolívia em verso e prosa” tem a intenção de levar o visitante a um ensaio que visa a criação de uma imagem objetiva e concreta da realidade tendo como paradoxo a subjetividade da arte fotográfica. As imagens são acompanhadas por textos poéticos do próprio autor, ampliando as sensações e interpretações do público para intensificar esse contato. Os textos aliás tem temática totalmente ligada e inspirada pelo que ele retratou nas fotos. “Os textos são fragmentos de parágrafos que escrevo nos locais. É algo sentimental que vivencio e que sobre minha ótica falta ou não para eles. Coisas que não coincidem com o modo aceitável de civilização e que parece ofuscar os olhos das pessoas. Quanto mais você convive com a desgraça mais ela parece aceitável. Isso me incomoda e escrevo muito nesse sentido nas viagens…”, pontua o fotógrafo.

As imagens foram clicadas em duas etapas, nos anos de 2014 e 2015 pela Bolívia. Essas fotos fazem parte de um projeto complexo que se iniciou em 2011 e que pretendo finalizar em 2018. Fotografar toda a América do Sul sempre com esse olhar nas pessoas, nos detalhes e na questão social. Pretendi entrar na vida dessas pessoas tentar compreender seu modo de vida, como pensam e o que esperam de sua vida como um todo”, contou o autor em entrevista ao Rubrosom.

A exposição busca oferecer uma delicada fusão entre literatura e fotografia sem deixar a provocação de lado. Uma abordagem humanista e social, questionando as políticas sul-americanas e tratados de direitos humanos. Nesse contexto, temas essencialmente complexos são colocados em evidência. “Cada foto é um momento, momentos mágicos. Quem faz foto de cotidiano pode esperar de tudo. De várias coisas marcantes uma que acho bacana, uma vez três garotas virem até mim e pediram para ver as fotos , aí fiz um retrato das três e elas se impressionaram de se ver ‘dentro da câmera’, pareciam não acreditar. Mas na Bolívia foi muito diferente de tudo que já experimentei, houve derrapagem do avião no aeroporto de Sucre e quase caímos no precipício, tivemos ainda equipamentos roubados, mas foi tudo mágico. Sempre há resistência quando se trata de pessoas, mas na Bolívia algumas cidades e regiões foi mais complicado de fotografar”, contou Rafael Leme sobre algumas dificuldades encontradas durante o processo.

Foto: Divulgação

Sobre o autor – Rafael Leme é fotógrafo profissional, nascido em Atibaia (SP). Integrante da Photographic Society of America (PSA) – Sociedade Americana de Fotografia, autor das exposições “Expressões Chilenas – 2011”, “Brasil, Brasil – vivendo no país do futebol – 2013”. Recebeu premiações no Concurso Internacional de Fotografia em Temuco, no Chile (2011), Circuito Profissional da Holanda (2012), Mostra de Fotografia de Buenos Aires (2013), Mostra Fotográfica “Os trabalhos e os dias”, em Medellín, na Colômbia (2015), Menção honrosa da Câmara Municipal de Marília (2014), Menção honrosa do palácio de Buckingham, Inglaterra (2015).