Por Bruno Leonel

Será exibido em Londrina no próximo dia 16 de Abril o filme ‘Para Sempre Teu Caio F.’ (2014) sobre a vida do escritor brasileiro Caio F. Abreu. O filme é dirigido por Candé Salles e baseado no livro homônimo escrito por Paula Dip, amiga pessoal do escritor, e que trás diversas cartas, relatos e impressões bastante humanizadas de uma convivência de quase 20 anos dos dois. Durante a exibição em Londrina, no Centro Cultural SESI, Salles e Dip também estarão presentes para uma conversa com a plateia.

O diretor conheceu Caio Fernando Abreu quando, em 1994, foi convidado a criar o roteiro da peça’ À Beira do Mar Aberto’. O filme apresenta uma estrutura pouco usual se comparado a outros documentários do gênero. Imagens de arquivo como entrevistas, reportagens e depoimentos do próprio escritor (Algumas delas filmadas na época pelo próprio Candé), se misturam à falas de figuras importantes da literatura (Como Mário Prata e João Gilberto), além disso, atores convidados, que usam de diferentes linguagens, dão novas leituras e dramatizações para contos e citações conhecidas do escritor. Entre os atores convidados participam do filme Camila Pitanga, Mariana Ximenes, Cauã Reymond, Alexandre Borges, Caco Ciocler, Fábio Assunção, Du Moscovis, Thiago Lacerda, Paolla Oliveira e outros… O documentário ainda trás trechos de diários pessoais e anotações do escritor gaúcho.

A exibição do filme na cidade foi viabilizada através de uma parceria entre os músicos Igor Diniz & Rafa Vella (Integrantes do grupo Iggy & Rafa) e o SESI da cidade. A exibição acontecerá no Centro Cultural, situado na região central (Próximo à Concha Acústica) às 19h do dia 16 (Sábado)

O Escritor

Caio Fernando Abreu começou a publicar seus livros no início dos anos 70 sendo “Inventário do irremediável” (1970) um dos primeiros trabalhos do qual se tem registro. Tido como um dos escritores mais influentes de sua geração, sua prosa muitas vezes é apresentada em um estilo econômico e bem pessoal. Na maioria das vezes Caio fala de histórias ocorridas em cenários urbanos, mas que trazem personagens imersos em solidão e agonia. Seus contos, frequentemente, apresentam uma visão dramática do mundo moderno e de situações de perda e trauma, muitas vezes, motivadas por repressão, isolamento e situações de preconceito – Em especial, alguns contos do livro ‘Morangos Mofados’ (1982), dialogam muito com essas características.

Caio Fernando Loureiro de Abreu nasceu em Santiago-RS em 1948 - Foto: Divulgação
Caio Fernando Loureiro de Abreu nasceu em Santiago-RS em 1948 – Foto: Divulgação

Durante sua vida, chegou a cursar Letras e Artes Cênicas na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), onde foi colega de João Gilberto Noll. Não chegou a terminar o curso, abandonou a faculdade para trabalhar como jornalista de revistas de entretenimento, tais como Nova, Manchete, Veja e Pop, além de colaborar com os jornais Correio do Povo, Zero Hora, Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo.

Em 1968, perseguido pelo Departamento de Ordem Política e Social (DOPS), Caio refugiou-se no sítio de uma amiga, a escritora Hilda Hilst, em Campinas, São Paulo. No início da década de 1970, ele se exilou por um ano na Europa, morando, respectivamente, na Espanha, na Suécia, nos Países Baixos, na Inglaterra e na França.

Em 1974, Caio Fernando Abreu retornou a Porto Alegre. Em 1983, mudou-se para o Rio de Janeiro e, em 1985, para São Paulo. Em 1994 descobriu-se soropositivo. Um ano depois, Caio Fernando Abreu voltou a viver novamente com seus pais, tempo durante o qual se dedicaria à jardinagem. Faleceu em 25 de fevereiro de 1996, no Hospital Mãe de Deus em Porto Alegre, no mesmo dia em que Mário de Andrade (Que morreu na mesma data em 1945). Entre alguns de seus livros mais notáveis estão trabalhos como ‘Os Dragões não conhecem o Paraíso’, ‘Onde Andará Dulce Veiga?’, ‘Morangos Mofados’ e ‘Triângulo das águas’ que foi vencedor do Prêmio Jabuti de literatura.


Serviço
Exibição ‘Para sempre teu Caio F.’ de Candé Salles
Dia 16/04 às 19h30
No Centro Cultural Sesi – (Associação Médica De Londrina)
Rua Maestro Egídio Camargo Do Amaral, 130
Entrada: R$ 16 e R$ 8 (meia)